fbpx

5 álbuns para os corações partidos no Dia dos Namorados

Esse é um especial de cinco álbuns que você definitivamente não deveria ouvir se está carente, com o coração partido, se sentindo solitário

É quase o dia dos namorados e praticamente todas as lojas, restaurantes e comerciais estão vendendo mimos e fazendo reservas para casais. Provavelmente todo mundo que namora vai postar uma foto, músicas românticas e aqueles gatilhos todos, mas calma. A gente sabe que também tem pessoas que não estão acompanhadas, gente que precisou se priorizar, pessoas que terminaram relações há pouco tempo, e quem terminou há muito, mas não superou. É isso, e tá tudo bem. Ou ainda não tá, mas eventualmente vai ficar.

Pensando em todas essas pessoas, resolvemos trazer um especial de cinco álbuns que você definitivamente não deveria ouvir se está carente, com o coração partido, se sentindo solitário(a) ou no processo de superação. Ou deveria ouvir sim, caso você seja do time que sabe que música é a melhor coisa do mundo, e mesmo quando machuca, vai melhorar em breve.

Pegue seu chocolate, pote de sorvete ou o que preferir, seu fone de ouvido, ache um lugarzinho confortável e venha com a gente. Se prepara que essas músicas estão cheias de poesias apaixonantes, tristes e marcantes. Com certeza você vai se ouvir em alguma delas.

“Recomeçar”, Tim Bernardes

Lançado em 2017, o primeiro álbum solo de Tim Bernardes traz em seu nome a principal intenção: recomeçar. Passando por todo processo de um pós relacionamento, suas doze faixas trazem poesias arrebatadoras e uma coletânea de melodias inesquecíveis, todas compostas e arranjadas por Tim. Isso mesmo, ele compôs tudo e tocou todos os instrumentos que a gente escuta no álbum — que nos conforta ao mesmo que nos faz querer uma sessão de terapia. Pouca gente escreveu sobre um término como Tim nesse álbum, então, repare nas letras e (cuidado com os) gatilhos!

Sugestão de faixas: Não, Tanto Faz, Calma e Recomeçar.

“flowers for vases/descansos”, Hayley Williams

Que Hayley Williams (sim, ela, a vocalista do Paramore!) sabe fazer música boa a gente sabe há tempos, né? “flowers for vases” é o segundo álbum solo da artista, escrito, produzido e lançado no período de lockdown na pandemia do Covid e nos oferece relatos íntimos sobre relacionamentos da cantora. Embora grande parte soe como um álbum quase acústico, há muito conforto e reconhecimento nas letras e instrumentais, que nos trazem nostalgia, saudade, dor, mas que também se parecem muito com uma serenata, capaz de também presentear com um aconchego necessário.

Sugestão de faixas: First Thing to Go, Asystole, KYRH e Just a Lover.

“star-crossed”, Kacey Musgraves

O último álbum de Kacey Musgraves trouxe um outro lado de todos os sentimentos tão otimistas do Golden Hour. Com uma instrumentação mais pop que seus trabalhos anteriores, “Star Crossed” foi escrito depois do divórcio da cantora — nos mostrando que as “horas douradas” também escurecem, mas que ainda há muito para nos preencher e nos fazer seguir adiante.

Sugestão de faixas: if this was a movie.., good wife, camera roll, angel e keep looking up.

“Melodrama”, Lorde

Um dos álbuns mais aclamados dos últimos anos, o segundo da neozelandesa Lorde nos presenteou com 11 faixas incríveis retratando, entre muitos sentimentos, a tristeza do coração partido. Canções como “Liability”, “Writer in the Dark” e “Hard Feelings/Loveless” apresentam algumas das melhores (e mais relacionáveis) letras sobre relacionamentos modernos e suas finalizações. Vale também o play em “Sober II” e “Liability (reprise)”. Ah, melhor ouvir o álbum todo…

“Sinto Muito”, Duda Beat

Mais um nacional e aclamado para nossa lista, não poderíamos deixar essa jóia nacional de fora. Primeiro álbum de Duda Beat e casa do super hit “Bixinho”, Sinto Muito já traz em seu título a mensagem. O jeito que Duda e Tomás Tróia conseguiram mesclar a brasilidade de Duda com melodias arrojadas e modernas com letras de rasgar o coração, fizeram do álbum um clássico da sofrência pop. Indicamos “Back to Bed”, “Egoísta”, “Bolo de Rolo” e “Todo Carinho”.

Dá pra dançar, chorar e os dois ao mesmo tempo. Só não vale aproveitar da carência para mandar mensagem pro ex, hein!

Todos os álbuns que listamos são bons para abraçar, embalar e trazer um pouco de conforto, com muita poesia, reflexões e arranjos poderosos. Se o seu coração tá intacto e a sua vibe é curtir música boa, você ainda assim provavelmente vai conseguir aproveitar muito do que tá aqui. Agora, se além de tudo seu coração tá bem feliz e acompanhado… Volta aqui que amanhã teremos mais um especial, dessa vez mais feliz e apaixonado. Seja como for, aperte o play e aproveita!

Total
0
Share