fbpx

5 séries LGBTQIA+ fofas para quem amou ‘Heartstopper’

Se assistiu Heartstopper e amou, confira outras 5 séries LGBTQIA+ fofinhas e equivalentes para maratonar e aquecer seu coração

O romance LGBTQIA+ do momento é Heartstopper, a série chegou aquecendo o coração de muita gente e se tornando um grande sucesso da Netflix. Baseada na HQ homônima, que possui 4 volumes, a série conta a história do romance entre Charlie Spring (Joe Locke) e Nick Nelson (Kit Connor).

Se você amou essa série, que além de ser uma fofura, é um marco importante para representatividade de romances LGBTQIA+ nas telas, nós separamos mais 5 opções bem gostosinhas e leves para você conferir:

Young Royals (Netflix)

Mais uma série de romance escolar, Young Royals explora o romance LGBTQIA+ entre um príncipe e um plebeu – o príncipe Wilhelm (Edvin Ryding) e seu colega de internato Simon (Omar Rudberg). A produção sueca demonstra de forma leve o amor adolescente e as descobertas do primeiro amor de uma forma muito sensível e delicada.

Já assistiu? Confira aqui nossas críticas da primeira temporada da série.

Love, Victor (Star+)

Derivada do filme ‘Love, Simon’, a série conta a história de autodescoberta de Victor (Michael Cimino) e como ele lida com seu primeiro amor por um garoto, Benji (George Sear). Por mais que aborde os medos e conflitos de aceitação pelos pais, amigos e colegas de escola, ‘Love, Victor’ tem uma narrativa leve, bem-humorada que dá um tom gostoso de comédia romântica a série.

Já assistiu? Confira aqui nossas críticas da primeira e segunda temporada da série.

Please Like Me (Netflix)

Embora não seja uma série adolescente, Please Like Me é outra produção fofa, cativante e muito sensível na forma com que trata a homossexualidade. Tratando de assuntos pesados de forma muito leve, sútil e bem-humorada, a série australiana acompanha a vida de Josh (Joh Thomas) sua busca por um lugar no mundo, seus dramas amorosos e seu processo de autodescoberta.

Special (Netflix)

Se narrar histórias de amor LGBTQIA+ de forma romântica, leve e nos moldes dos “clichês” já é um desafio, imagine fazer isso contando a história de um adulto gay com paralisia cerebral. Essa é Special, uma série que nos apresenta Ryan (Ryan O’Connell) e sua busca pelo amor, respeito e independência. A produção aborda com humor e muita sutileza assuntos pouco abordados no universo LGBT, passando até mesmo pela sexualização de pessoas com deficiência.

Feel Good (Netflix)

Feel Good

Adorável, engraçada, mas muito consciente. Esse é um bom resumo sobre ‘Feel Good’, a série narra a vida de Mae (Mae Martin), de forma cômica, dinâmica e leve, mas sem deixar de lado a dureza das relações amorosas, do vício às reflexões sobre identidade e orientação sexual. Um dos poucos shows desse tema que traz um casal lésbico a frente das discussões. Um bônus é a trilha sonora da série que recheia seus episódios com canções icônicas de artistas como Spice Girls e FKA twigs.

E aí, tá esperando o que para maratonar essas séries e se encher ainda mais de amor, romance e comédia? Ainda não viu Heartstopper? Assista na Netflix e leia nossa crítica.

Total
0
Share