‘Black Parade’, leia a tradução da nova música da Beyoncé

Beyoncé lançou de surpresa a faixa “BLACK PARADE” em comemoração ao Juneteenth.

“Black Parade” é uma celebração da negritude lançada na noite de 11 de junho, um feriado comemorando o fim da escravidão nos Estados Unidos. Na música, Beyoncé canta orgulhosamente sobre sua herança, lar, feminilidade e aparência. Ela também fala sobre voltar às suas raízes.

Ouça ‘Black Parade’:

 

[Introdução]

Ah

[Verso 1]

Vou voltar para o sul
Vou voltar, voltar, voltar, voltar
Onde minhas raízes não são diluídas
Crescendo, crescendo, como um baobá
Todos voam, acima do solo, antepassados ​​me colocam em jogo
Ankh charme em correntes de ouro, com a minha energia Oshun, oh
Goteje tudo em mim, corteje, Ankh ou o Dashiki
Agora, não cheira a um incenso tão chato?
Sim, gelo puro, gelo, gelo, gelo, buss down
Uh, inundado (inundado), inundado (inundado), no meu pulso, fora
Ooh, subindo, subindo, pátria, pátria pingando em mim
Ooh, melanina, melanina, meu gotejamento é profundo, como
Ooh, pátria, pátria, pátria, pátria pingam em mim
Sim, não posso esquecer que minha história é a história dela (pátria), sim
Sendo preto, baby, essa é a razão pela qual eles sempre ficam loucos, sim
Sempre loucos, sim
Já passei por eles, eu sei que essa é a razão pela qual todos estão loucos
E eles sempre foram

[Refrão]

Querida, venha pelo meu caminho, pelo meu
Sempre que mamãe diz isso, mamãe diz
Aqui vou eu no meu trono, sentado alto
Siga meu desfile, oh, meu desfile
Falando bem com meu povo (meu povo), levante esse lábio como lipo (lipo)
Você os ouve zunindo, certo? As abelhas são conhecidas por morder
Agora aqui chegamos aos nossos tronos, sentados no alto
Siga meu desfile, oh, meu desfile

[Verso 2]

Sim, sim, eu sou para nós, todo preto
Todos cromado (Sim), de propriedade preta (Sim)
Tons pretos (Sim), preto fosco (Sim, sim)
Abaixo por minha janela, deixe-os ver quem está dentro nela
Abra um grande sorriso (Ding)
Figura de ouro, eu e Jigga (Jay-Z), comemorando os 50
Eles ficam tipo: “Garota, como?”
Eu carrego meus cristais na lua cheia
Você poderia mandar mísseis para eles, vou mandar meus capangas
Irmãzinha nada a ver, me ouça, me ouça
Confie em mim, eles vão precisar de um exército (Ah)
Balas de borracha saltando de cima de mim (Ah)
Fez um piquete na sua cerca (Ah)
Tome isso como um aviso (Ah, ah)
Miçangas da cintura de Ioruba (Woo)
Quatro bilhões, Mansa Musa (Woo)
Linha de palha para o churrasco
Queime a cidade, onde vamos fazer com que pareça fofa
Mosca pandêmica na pista, no meu hazmat
Julgando, correndo pela casa com minha arte, todo preto
Antepassados ​​na parede, deixe os fantasmas conversarem
(Antepassados ​​na parede, deixe os fantasmas baterem papo)
Segure minhas mãos, vamos orar juntos
Deite-se de bruços no cascalho
Woo, vestindo todos os trajes brancos para o funeral
Amor negro, vamos ficar juntos
Curtis Mayfield no alto-falante (Woo)
Lil ‘Malcolm, sinto falta deles, mamãe Tina (Woo)
Precisa de outra marcha, deixe-me chamar Tamika (Woo)
Preciso de paz e reparação para o meu povo (Woo)
Foda-se essas arestas, vou deixá-lo encolher (Encolher)
Foda-se esse desbotamento e ondas, eu vou deixar isso assustar tudo (Medo tudo)
Coloque seus punhos no ar, mostre amor negro (mostre amor negro)
Pátria pingar em mim, pátria, pátria pingar em mim

Leia a letra original na Genius. Ouça no Spotify e Tidal.

Por Diego Stedile

Comunicador, publicitário, designer, já tentou ser escritor de livros e não deu certo. Fundou o ESCUTAI pra compartilhar música e hoje é lar de muitas opiniões. Editor-chefe, diretor de arte, playlisteiro e conselheiro nas horas vagas.


Notice: Constant WP_USE_THEMES already defined in /home/escuta28/public_html/index.php on line 14