fbpx

Direto de São Paulo, Billy Idol prova que se o rock está vivo, a culpa (também) é dele

Billy Idol e banda se apresentaram em São Paulo no último dia 8 de setembro através do Popload Gig

No dia em que a história da humanidade teve uma página virada, o escutai me enviou para viver uma experiência dessas que são únicas na vida. Em São Paulo (SP), eu vi e dancei ao som de Billy Idol, o ícone do punk rock que voltou ao Brasil depois de 30 anos. O cantor se apresentou no Pavilhão Pacaembu, em edição do Popload Gig, um dia antes de subir ao palco do Rock In Rio nesta sexta-feira (09).

Aos 66 anos, Billy Idol nos mostra porque o rock está vivo (de novo). Ao longo de uma hora e meia, em um show pontual e repleto de momentos vibrantes, o cantor inglês apresentou as canções de seu último lançamento, o EP “The Roadside”, lançado no ano passado, e outros sucessos de sua carreira.

De maneira triunfal, o artista abriu a apresentação com o clássico “Dancing With Myself”, de 1981, levando o público ao êxtase. Sucessos como “White Wedding”, “Eyes Without a Face”, “Rebel Yell”, “Born to Lose” (cover de Heartbreakers) e “One Hundred Punks” também estiveram na setlist.

Idol não veio sozinho. O lendário guitarrista Steve Stevens, ganhador do Grammy pela trilha da primeira versão do filme “Top Gun – Ases Indomáveis”, e colaborador de artistas como Michael Jackson e Robert Palmer, “roubou” a atenção do público ao dedilhar sua guitarra com a maestria, algumas vezes com o instrumento atrás da cabeça.

O visual elaborado, a sonoridade pop e o espírito rebelde de Billy Idol ajudam a entender porque vivemos um revival do rock e todas as suas estéticas de maneira tão intensa. Ao G1, o artista disse que “[o punk rock] foi uma manifestação anti-moda, e eu acho que isso se encaixa perfeitamente no que as pessoas buscam hoje”.

Vivemos tempos difíceis, com um grito de angústia constantemente entalado. É por isso que a sonoridade e a estética viscerais do rock seguem fazendo a cabeça dos jovens (e dos nem tão jovens assim). No Brasil, o renascimento da Fresno também ajuda a entender porque buscamos cada vez mais o gênero como suporte para os dilemas da nossa geração.

De volta ao show do Billy Idol, há poucos metros de mim, Supla assistia atentamente. Ao final do show, os artistas se encontraram nos bastidores, colocando um ponto final em uma história iniciada ainda nos anos 1990. “Falamos que ele precisava fazer uma bossa furiosa, um punkanova”, brincou o brasileiro em entrevista ao G1.

Fãs na grade pra ver Billy Idol em São Paulo por Camila Cara (reprodução)

O show terminou de maneira tranquila e satisfatória, com Idol se despedindo sob a euforia da multidão que esperou por anos para vê-lo. O artista se apresenta hoje (09) no Palco Mundo do Rock in Rio, a partir das 20h10.

A próxima edição do Popload Gig acontece dia 03 de dezembro, também no Pavilhão Pacaembu, em São Paulo (SP). A atração da vez será a banda britânica Metronomy, dona dos hits “The Look” e “The Bay”. Acompanhe o Popload nas redes para saber mais.

Total
0
Share