Entrevista | LOVA fala sobre cena pop sueca, Young Royals e processo de composição

Cantora sueca LOVA fala sobre estouro da música ‘Lonely Ones’ em Young Royals, cena musical local e seu processo de escrita bastante honesto.

Em 2018, LOVA surgiu oficialmente com a faixa ‘You Me and The Silence’, canção que já servia para mostrar que a artista fazia questão de explorar sentimentos profundos em suas composições desde cedo. Mais tarde, após o lançamentos dos EPs ‘Scripted Reality‘ e ‘A Gentleman’s Guide‘ chegou a hora de mostrar sua força oficialmente em um disco. Em 2021 nasceu ‘Grown-ish‘, projeto que engloba músicas focadas em uma escrita honesta sobre amor, desilusões, conflitos internos e alguns sentimentos tristes.

Agora em 2022, a música ‘Lonely Ones‘ começa a crescer depois de estourar fazendo parte da trilha sonora da produção de sucesso da Netflix, Young Royals. A cantora bateu um papo com o escutai onde falou sobre o sucesso da música na série, o quanto seu país alimenta a cena da música pop, seu processo de escrita e a vontade de visitar (novamente) o país.

[Luis] Eu a conheci porque lembro que um amigo me mandou uma mensagem dizendo: “Ei, você deveria ouvir essa garota, ela é muito boa e é da Suécia” e eu ouvi sua música e me apaixonei completamente. Mas algo muito interessante é a cena pop sueca… Como você se sente e por que acha que artistas suecos se tornaram tão importantes para fãs de música pop no mundo?

Crédito: reprodução
[LOVA] Eu não faço ideia, eu sinto como se as pessoas perguntassem: ‘O que tem na água de vocês?’ e eu realmente não sei. Mas enquanto eu crescia, sempre foi muito importante pra mim ter alguns artistas como ABBA e Tove Lo para admirar e ter como ídolos, pois eles me fizeram sentir que é possível viver de música pop e ser capaz de fazer isso.

E também Robyn, que é uma das minhas artistas favoritas desde criança. Mas, agora estamos no inverno aqui e já escurece a partir das três da tarde, então temos muita escuridão durante essa estação, eu acho que isso até me ajuda nos meus sentimentos. Tem muito espaço e pouca luz para entrar em contato conosco, e eu acho que os suecos são pensadores… nós não somos tão extrovertidos e não somos de compartilhar demais nossos pensamentos mais profundos com as pessoas.

Temos muita integridade e de alguma forma somos introvertidos, preferimos guardar as coisas apenas para nós mesmos. Isso nos dá muito tempo para refletir e estar mais em contato com nossos sentimentos e emoções. Pelo menos, isso é algo que me ajuda. Além disso, para mim, não ter o inglês como meu primeiro idioma me dá a chance de brincar mais com as palavras, você vai descobrindo seu próprio estilo de escrita de uma forma mais crua, pois você pode não ter o total conhecimento de metáforas. Na música pop é muito refrescante ter algo vulnerável e honesto assim.

[Luis] Eu assisti o vídeo que você divulgou de você reagindo a cena de Young Royals que toca sua música, ‘Lonely Ones’. E eu tive a mesma reação que você, pois é uma cena muito bonita, parece até um clipe. Eu gostaria de saber como foi pra você ter sua música lá, justamente em uma cena que é tão especial, tão memorável e que significa tanto para a série e para os fãs?

[LOVA] É tão incrível, especialmente para uma música que já saiu há alguns anos. É muito legal ver ela tendo uma nova vida e as pessoas descobrindo minha carreira através da série em todo o mundo. E é tão grande e tão louco que as pessoas estão assistindo uma série em sueco, e a qualidade da produção… ela tem muito a ver com emoções e sentimentos, e coisas que nós também passamos e nos identificamos.

Eu não tinha ideia de como eles usariam ‘Lonely Ones’ e o quanto ela iria tocar na série. Ficou muito lindo e funcionou muito bem. A performance de Edvin Ryding (intérprete do Prince Wilhelm) foi incrível, eu quase chorei e todo mundo me dizendo que quase chorou também… foi tão intenso! Eu também penso que a música em si se tornou algo mais intenso também, ouvi-la enquanto assiste algo traz outra camada de emoção pra ela, algo mais cru e profundo, o que foi tão legal de ver.

E estando em uma série tão importante quanto Young Royals eu sinto que tudo se encaixou e ocorreu exatamente como era para ser, e eu me sinto tão sortuda de ter feito parte disso e o quanto mudou minha vida agora. E estou falando com pessoas ao redor do mundo sobre isso e é muito, muito legal.

[Luis] Sobre ter uma música que já havia sido lançada há algum tempo estourando por causa da série, a cantora adicionou:

[LOVA] É muito louco. Todos [os comentários que as pessoas deixam nas redes sobre a cena] são tão doces e estão tão investidos na série e na música. É incrível. Eu estou muito feliz que foi essa música recebendo tanto amor. Sinto que ela é maior que eu e acho que vai viver pra sempre porque a mensagem é geral e diversa. É sobre solidão, algo que todos nós passamos em algum momento da vida, então será sempre atual. É muito legal ter pessoas para escrever sobre esse tema.

[Luis] Quando você escreveu ‘Lonely Ones’ você falou sobre solidão, mas essa não é a primeira vez que você escreve sobre um sentimento triste. No seu primeiro EP você tem ‘Insecurities’ e no seu disco ‘Grown-ish’, em ‘Own Worst Enemy’ você é muito sincera sobre a vida, como você a vê e como as pessoas te veem. O quanto é fácil ou difícil para você ser tão aberta sobre o que sente nas suas letras?

[LOVA] É muito fácil, mas é louco porque eu sinto que tem o lado de ser artista; estar no estúdio e escrever músicas me deixou muito mais confortável… me deu um espaço seguro e sinto que as pessoas se importam com o que eu tenho a dizer pois existem pessoas ouvindo sobre minhas opiniões e sentimentos. Eu acho que sou uma pessoa mais introvertida na minha vida pessoal, acredito que existem duas personalidades para mim. A introvertida e a extrovertida, e que elas precisam e dependem uma da outra.

Mas eu acho que ter uma plataforma como a música, me ajudou a ter essa saída para falar de sentimentos e botar para fora o que sinto e o que está na minha cabeça. Isso me fez muito mais corajosa com certeza, a música me ajudou muito a me desinibir. Ainda há coisas que ainda não escrevi, e eu me pergunto se deveria manter em segredo pois são coisas que ainda são um pouco assustadoras para transformar em música.

Crédito: reprodução

Algo tão importante quanto é encontrar as pessoas certas para escrever juntos. Eu ainda mantenho um círculo social pequeno para isso, com amigos e pessoas que posso ter horas de conversa sobre amor e a vida de forma natural. Sou muito sortuda, encontrei pessoas assim desde o começo pois acredito que isso é crucial.

[Luis] Agora, uma última pergunta muito importante: Em algum momento você já encontrou alguém dizendo para você “Come To Brazil”?

[LOVA] Com certeza! Isso desde 2018, então acredito que já passou da hora de eu ir. Quando era criança eu já viajei ao Brasil por um mês, e ainda é uma das minhas viagens favoritas. Eu amaria voltar. Eu amo os fãs brasileiros porque eles são tão dedicados e criativos com tudo, as melhores artes de fãs vem do Brasil.

Please, LOVA, come to Brazil!

Total
0
Share

Notice: Constant WP_USE_THEMES already defined in /home/escuta28/public_html/index.php on line 14