fbpx

ESC DSCVR | 8 artistas pra fazer parte da sua playlist

Quer aparecer por aqui ou em nossas playlists? Envie sua música pra gente no Groover e seja avaliado por nossa equipe

Desde o início de 2020 o ESCUTAI faz parte do time de influenciadores na plataforma do Groover. Através de lá recebemos dezenas de tracks do mundo todo, onde podemos diariamente descobrir novos artistas e músicas enviadas pelos próprios. A quantidade de sons legais é tão grande que decidimos publicar mensalmente uma lista com os destaques que descobrimos por lá.

Após nossa curadoria decidimos que estes seriam nossos destaques de NOVEMBRO do Groover, que também figuram nossa playlist ESC DSCVR, atualizada semanalmente, da qual essa coluna leva o nome.

Quer aparecer por aqui ou em nossas playlists? Envie sua música pra gente no Groover e seja avaliado por nossa equipe, clique aqui.

Vem pra listinha:

ESC DSCVR

Além de descobrir novos artistas aqui no ESC toda semana, você pode ouvir estes e muitos outros em nossa playlist atualizada semanalmente:

Spotify, Deezer, Youtube Music e Apple Music

Capa: MAMI

Danny Starr, “Belong”

Danny Starr, “Belong”

A sonoridade cinematográfica que “Belong” emana já é o bastante para que qualquer um se sinta imerso na canção logo em seus primeiros segundos. Danny Starr tem um vocal potente, mas que também se mostra vulnerável o bastante para dar o tom emotivo necessário, e esses são os principais fatores que dão força a seu trabalho. Além de mandar bem no estúdio, seus vocais também conseguem atingir novos patamares quando ele se apresenta apenas com uma guitarra. A sonoridade indie-rock com uma pegada de soul é a melhor pedida para absorver por completo sua grandiosidade.

Danny Starr no Instagram

almanua, “Lugar Distante”

almanua, “Lugar Distante”

“Lugar Distante” é o exemplo perfeito de uma música doce com cara de outono. As notas e melodias delicadas somadas a harmonia ímpar que a dupla almanua transborda, são um convite perfeito para tomar um café passeando pelos seus vídeos. Outra razão pelo qual a canção (e os artistas) funcionam tão bem, é pelo fato de sua sintonia ser tão clara. A forma como suas vozes entrelaçam é a maior prova que estamos lidando com um duo que nasceu para fazer música juntos. Além da indicação vale também conferir ‘Prontos Pra Dançar’, que dá um pequeno passo diferente na sonoridade da dupla, mas que também oferece um gostinho de que eles podem dominar outros estilos de forma tão graciosa.

almanua no Instagram

Wrabel, “nothing but love”

Wrabel, “nothing but the love”

O refrão de “nothing but the love” é uma potência por si so, e Wrabel domina a música com uma facilidade que sua voz parece se encaixar perfeitamente em qualquer melodia ou ritmo. O vídeo trás um jogo de luzes que chega a ser hipnótico, entre clarões solares e uma paleta neutra e fria ele abusa da dança para fazer a canção explodir em momentos únicos. O cantor prova que um bom trabalho fala por si só, e as vezes menos é mais. Utilizar uma estética simples para valorizar o quanto a música é gigante foi a melhor pedida, é uma balada intensa que fica na cabeça logo na primeira ouvida.

Wrabel no Instagram / Twitter

Colidente, “Sem Você”

Colidente, “Sem Você”

Cada vez mais temos artistas que são independentes em todos os aspectos da criação de uma música. Colidente mostra que é possível fazer um ótimo trabalho quando dominamos completamente a música que fazemos. Cantar, escrever e produzir sozinho pode parecer difícil (e é), mas quando o resultado soa tão naturalmente coeso, a sensação que ouvimos música boa fica melhor ainda. As batidas minimalistas de “Sem Você” são um complemento perfeito a voz do cantor, que aposta em um refrão que gruda com uma sonoridade que vai além do pop comum, resultando em algo que imprime muita personalidade. A vontade é de ouvir mais de uma vez, apenas para pegar as nuances de sua melodia e da letra… que casa perfeitamente com a vibe.

Colidente no Instagram / Twitter

Bocar, “Younger”

Bocar, “Younger”

Bocar explora uma atmosfera nostálgica para cantar sobre a como vê as coisas sendo um jovem adulto. O maior charme da música é o violão simples, mas que dá um toque chique e ambiente ao som (principalmente em seu refrão). A produção acerta em dar ênfase a voz do cantor, mas deixa uma sensação de euforia ao final… onde um riff de guitarra é executado de forma estupenda, mesmo que servindo de apoio. O cantor em nada deve a outros do mesmo estilo que estão no topo, sua voz doce e forte são o guia perfeito que dá a “Way Out EP” uma sonoridade convidativa, onde “Younger” é seu pico mais alto.

Bocar no Instagram

Darin, “Holding Me More”

Darin, “Holding me more”

Darin já é um antigo conhecido da música pop, estando no mundo artístico há anos ele já provou diversas vezes o quanto seu talento e técnica o deixaram cada vez mais maduro a cada lançamento. Mas se tem um momento onde ele sabe brilhar é com suas baladas; “Holding me more” aproveita muito bem seus vocais delicados, mas também oferece potência quando necessário, principalmente para narrar sobre relacionamentos e amor em sua letra. Entre transições vocais temos um piano sútil, que dá um tom dramático a faixa. Em seu vídeo a escolha por focar na intepretação é um acerto em cheio, trazendo conexão e calmaria para o ouvinte.

Darin no Instagram / Twitter

Blood Type, “Howlite” com mokroïé

Howlite, “Blood Type (Electro-Orchestral Remix)”

Ouvir a versão Electro-Orchestral de “Blood Type” é basicamente imergir em um mundo completamente novo. A forma como Howlite conseguiu dar uma outra vida para uma faixa que já era muito boa só mostra o quanto a visão musical do grupo sabe muito bem expandir sua sonoridade. Com vocais dramáticos e batidas que vão em uma crescendo que atinge vários momentos mágicos, a faixa se mostra uma mixagem perfeita de eletrônico com um toque clássico. Originalmente já tínhamos uma faixa que abusava da dramaticidade de forma ímpar, mas com um remix que vai para outro lado e transforma totalmente algo sem tirar sua essência, percebemos o quanto os músicos sabem criar novas vibes para um trabalho tão bem executado.

Howlite no Instagram / Twitter

MAMI, “Sideline”

“Sideline” foi a última música que MAMI escreveu durante um longo dia de composições. A cantora só foi perceber no dia seguinte que tinha algo muito bom em mãos. Sua voz é envolvente de uma forma quase que hipnótica, um vocal maduro, forte, porém também delicado quando necessário. A forma como seus cantos e melodias caem perfeitamente na produção de Chunkyluv é o que dá tanta força a essa faixa. Em uma letra que fala sobre expressar emoções e poder, somos presenteados com uma progressão perfeita que chega ao seu ápice com um refrão altamente viciante. É impossível não cantar junto após a segunda ouvida. É aquele tipo de música perfeita para ouvir a noite, seja sozinho em casa, em uma festa ou (até) com aquela pessoal especial, graças a sonoridade tão sexy.

MAMI no Instagram

Total
0
Share