fbpx

Lia Clark firma presença no funk e resgata referências em “LIA (pt. 1)”

Com 7 faixas, Lia usou o período da pandemia para produzir o conceito artístico do álbum, que resgata fortes influências do funk feminino

Em terceiro trabalho de estúdio, a cantora e compositora Lia Clark, nacionalmente conhecida como a drag queen do funk, aposta em “LIA (pt. 1)”, a primeira parte de seu novo trabalho homônimo, que chega às plataformas digitais dia 03 de fevereiro e, no dia seguinte (4) com visualizers em seu canal no YouTube.

Com importante histórico de lançamentos, como o EP “Clark Boom” (2016) e o álbum “É a Pista” (2018), a artista passa por um momento intenso em sua vida, em que se sente conectada com sua arte, sua essência e preparada para seguir inspirando e sendo referência nesse universo. 

“Neste álbum, o público verá a Lia que todos se apaixonaram, bem no comecinho da carreira. Consegui unir essa história e esse sentimento repaginados, trazendo muita novidade e vai ter muito senta, senta, quica, quica, muita rebolação, muita curtição, porque Lia Clark é isso!”, comenta.

Com 7 faixas, Lia usou o período da pandemia para produzir o conceito artístico do álbum, que resgata fortes influências do funk feminino, como Tati Quebra Barraco, Valesca Popozuda, MC Carol, Bonde das Maravilhas, entre outras, e aposta na junção das vertentes do gênero, como o rave funk, funk de favela e o funk pop. Aplicado também na identidade visual, a artista traz na capa do álbum uma referência ao ensaio da revista playboy, com Valesca, publicado em 2009.

Além dos clássicos que fizeram história  no mercado do funk, Lia também vê futuro nas revelações atuais, momento em que aproveitou para convidar a carioca MC Naninha, que estrela na faixa “PQP! (tu fez do jeito que eu queria)”. Entre as faixas solo, Lia aposta em “VRAU”, que une o funk ao pagode baiano e é uma homenagem ao Carnaval, festa que abriu as portas para as primeiras canções da artista.

Maicon Douglas Fotografia | Arte: Wagner Almeida

O álbum também traz as faixas já lançadas “Eu Viciei”, hit de 2021 com participação de Pocah, alavancado pela sua presença no Big Brother Brasil – e que atualmente, com o videoclipe, alcançou 5.1 milhões de views, e “Sentadinha Macia”, rave funk solo lançado no último ano, que chega repaginado em remix.

Na ficha técnica, a artista convidou produtores importantes do funk, como Hitmaker, Thai, Arthur Gutierres e Renato Messas, que assina composições no álbum. Até o fim do ano, Lia lançará “CLARK (pt. 2)”, que se une à primeira parte para fechar em seu terceiro álbum. 

Total
0
Share