fbpx

As melhores músicas de 2021 até agora

A redação do ESC escolheu as melhores músicas lançadas até agora como prévia da retrospectiva REWIND 2021

Chegamos ao epicentro de 2021 e até aqui presenciamos diversos lançamentos musicais que garantiram seu lugar em nossa playlist diária. De todos os cantos do mundo e variando os gêneros, os destaques do primeiro semestre do ano são grandes e únicos.

Desde a volta do duo Aly and Aj, ao novo álbum da Wolf Alice, de EXO ao novo encontro sonoro do Rosa Neon, veja as escolhas da redação do ESC para as melhores músicas do ano até agora que garantiram sua vaga na REWIND, nossa retrospectiva anual.

Ouça a playlist com todas as escolhas ao final do artigo!

“Don’t Need Nothing” de Aly and Aj

Diego Stedile

Sabe aquela música que facilmente tocaria em um filme alternativo mainstream? É essa da Aly and Aj. Isso não é algo ruim, muito pelo contrário. É marcante e gostosa de ouvir, intrigante ao ponto de te fazer procurar logo depois da cena em que tocou ter acabado. Depois de 14 anos sem lançar um álbum, as irmãs Michalka voltaram com o “a touch of the beat”, um álbum repleto de reflexos dos anos 50 e 60, se transformando num registro quase atemporal, uma trilha pra ouvir no carro, em viagem com amigos, num pôr do sol, ou no fone de ouvido.

“Lower East” de Gemelle

Luis Hora

Não existem dúvidas de que a Suécia exporta artistas de qualidade há muito tempo, e se tem algo que os músicos do país sempre trazem é personalidade. As gêmeas do duo Gemelle começaram leve, com um cover simples (porém maravilhoso) da icônica “Waterfalls” das TLC, mas foi com seu primeiro trabalho original que mostraram o quanto seu som as representa. “Lower East” mescla com perfeição aquele estilo ‘disco light’ que vem caindo no gosto do público, isso somado a uma letra extremamente pegajosa com referências a décadas e artistas influentes. Embarcando nessa onda de uma sonoridade pautada nos anos 90 e 00, Tove e Emma Ekström tem tudo para chamar a atenção do ouvinte de música boa.

“The Beach II” de Wolf Alice

Eduardo Marcelo

A euforia que se acomoda em todas as músicas do “Blue Weekend” é precisa e extremamente condizente com tudo que é colocado em prática através das camadas sonoras inteligentes. Quem ouve, se adentra em uma atmosfera que se descreve por uma paleta azul e a essência de lugares que expressam semióticas singulares. Mas é a faixa que encerra o 3º álbum da banda que refina em todos os seus segundos de existência um trabalho primoroso, onde os sons dos variados instrumentos se tornam uma ponte para abraçarmos todas as narrativas expostas em uma única canção. A diagramação contemplativa e as passagens líricas de Ellie que ecoam como versos de um poema soltos nas ondas colocam o ouvinte em um lugar ainda mais místico do que apenas uma praia.

“The Kiss of Venus” do Paul McCartney com Dominic Fike

Letícia Finamore

Dominic Fike é um dos nomes que compõe a seleta lista de músicos convidados por Paul McCartney para revisitar canções de seu último álbum, McCartney III. O jovem artista expõe toda a sua capacidade diante de uma tarefa um tanto quanto desafiadora e lisonjeira, o que atribui à sua versão de “The Kiss of Venus”, segunda faixa de McCartney III Imagined, uma vaga nesta seleção de melhores canções de 2021 até o momento. É admiradora a forma com que Fike enlaça seu estilo sonoro característico com uma composição tão tradicional quanto a do ex-Beatle. Sua versão é alegre, e transfere a sonoridade original de uma balada batida para um hit que funde pop e R&B. Dessa forma, a parceria inusitada agrega ainda mais expectativas aos futuros trabalhos de Fike, além de reafirmar a personalidade jovem de McCartney.

“Loneliness” da Birdy

Thiago Santos

Uma música que explora nossas tristezas de forma certeira, pacífica e apresentada na voz matura de alguém que, com apenas 26 anos, consegue entender as angústias da vida. Depois de um hiato musical de praticamente 5 anos, a britânica Birdy trouxe de volta todo tom característico de sua arte com o single ‘Loneliness’ – precursor de seu novo álbum ‘Youn Heart’ –, uma música que sem dúvidas reforça o melhor dela: a delicadeza e a capacidade de nos tocar com letras e melodias que falam intimamente com pensamentos e as aflições internas de cada um. Isto sem falar no clipe hipnotizante, artístico, de visual simples, mas delicado e extremamente nostálgico.

“Paradise” do EXO

Mariana Magalhães

Apesar do k-pop ser um gênero que está em crescimento, ainda não é muito popularizado além dos gigantes Blackpink e BTS. EXO não é um grupo pequeno, e veio com um comeback extremamente esperado pela fanbase especialmente por ter estado em hiatus por membros no exército. Antes de mais dois saírem, o EXO entregou um dos melhores eps da carreira com 7 dos seus 9 membros presentes (e sim, com o Lay) e foi com MUITA qualidade. Paradise traz o melhor do EXO: os vocais, uma harmonização incrível e uma música super gostosa que dá vontade de ouvir 1, 2, 10 vezes.

“Ancient Dreams In A Modern Land” da Marina

Ricardo Costa

Sabe aquela música que você se sente uma grande gostosa fodona? É essa aqui! Facilmente estaria em um filme no estilo “As Panteras”. Essa música emana poder e tem vocais extremamente variados e teatrais. Além de ser uma canção que eu faria se fosse artista, veio na hora na minha vida e me deu vários tapas na cara sobre “encontrar o meu propósito de vida”. E isso sem soar um livro de autoajuda. Além de ser um dos melhores singles da carreira de Marina, me fez enxergar a vida sob uma ótica de chorar menos pelo passado, não ficar sofrendo pelo futuro, me comparar menos e curtir mais o presente. Há momentos que estaremos perdidos, e precisaremos ser “testemunhas da vida” e outros “o olho do furacão”. A única certeza é que: “você não me está aqui para se conformar”.

“A Gente é Demais” de Rosa Neon

Raphael Castilho

Desde o fim de 2018, a banda Rosa Neon movimenta o cenário indie de Minas Gerais. No verão de 2020, antes da pandemia, a banda ganhou projeção nacional com o hit “Ombrim”. Em março desse ano, o grupo encerrou as suas atividades e chegou ao fim. Para se despedir, foi lançado o clipe e a música “A Gente é Demais”. Após a melancolia de “Não Tô Dando Conta”, que reflete todo o desgaste existencial imposto pela pandemia e pela situação do país, a nova música reconquista a leveza do resto da discografia do grupo e anuncia em sua primeira frase que a vida é demais. Imersos no mesmo conceito das canções do primeiro álbum (2019), a música mergulha no contexto jovem, urbano e contemporâneo já abordado pela banda. Mistura, portanto, os anseios de uma geração que tenta buscar uma identidade diferente daquela que é imposta pela sociedade e cumpre seu objetivo com o mesmo perfeccionismo despretensioso já apresentado nos trabalhos anteriores.

“Someone to Chill With” da Erika de Casier

Heitor Beluco

Lançado em maio, o segundo disco da dinamarquesa Erika de Casier resgatou as melodias suaves e charmosas já abraçadas pela cantora desde o seu álbum de estreia. Dentre as faixas presentes em seu mais novo trabalho de estúdio, “Someone to Chill with” é a que merece maior destaque, justamente pela sua temática ligada à solidão e aos poderes direcionados por meio de nossos relacionamentos interpessoais. Em tempos pandêmicos, a canção reafirma a importância do amor próprio e, ao mesmo tempo, reforça a possibilidade de encontrarmos companhias agradáveis em momentos diversos. Com seu toque sedutor, essa música é perfeita para os contatinhos pós-vacina, afinal: “porque eu não quero nenhum relacionamento… estou procurando alguém para relaxar…”

“Comerte Entera” de C. Tangana, Toquinho

The Playlist Geek

O Madrilenho C. Tangana é grandioso. Não necessariamente por composições explosivas ou hits poderosos, mas por músicas que acabam nos surpreendendo por suas construções sonoras. ‘Comerte Entera’, do seu último álbum El Madrileño, é o exemplo perfeito. Acompanhado de Toquinho, Tangana une Bossa Nova e Funk em uma mistura elegante e sensual. O título cumpre o que promete: o ritmo e a letra hipnotizam, envolvendo o ouvinte lentamente até devorá-lo por completo. É quase irresistível não apertar o play novamente.

“House Burn Down” de King Princess

Raphael Moreira Júnior

King Princess é merecidamente reconhecida pelo seu enorme sucesso em 2018, com seu álbum Talia. Agora, um ano depois do lançamento de seu último álbum, o Cheap Queen, ela ressurge com seu single House Burn Down e, como era de se esperar, não decepciona. Na música, ela retrata a sua situação dentro de um relacionamento que demonstrar ser tóxico; mas não apenas isso.

Vemos um tipo de relacionamento que pode ser idêntico a algum em que já fizemos parte em nossa vida. E é ai que ela acerta novamente, mostrando ser a King Princess de sempre: aquela que escreve músicas para que quem ouve se identifique.

De todos os gêneros e locais do mundo, 2021 já se mostrou diverso no quesito musical. Dentre os 6 meses que passaram, escolhemos mais de 200 músicas que se tornaram ótimos acertos em nossas playlists… o que será que o próximo semestre nos reserva?

Best of 2021 so far, playlist por ESCUTAI

Ouça todas as nossas escolhas de melhores do ano até agora

Na playlist, uma reunião de hits dos quais consideramos uma vaga na final do ano de melhores músicas de 2021.

Ouça no Spotify e Deezer

Total
0
Share