Os 35 melhores clipes de 2020

2020 foi sem dúvidas um ano caótico em praticamente todos os setores existentes. Em meio à doenças, coronavírus, crises políticas, eleições presidenciais, saúde pública em colapso e crises biológicas, a indústria musical se viu obrigada a se movimentar para não morrer.

Lidar com criatividade enquanto se enfrenta uma pandemia mundial e um lockdown que parece eterno parece ser algo impossível de ser feito, mas como diz Caetano Veloso, “gente é pra brilhar, não pra morrer de fome”, e a arte sempre prospera.

Artistas no mundo inteiro se viram em um beco sem saída durante 2020: ou colocavam sua carga emocional e artística em obras que poderiam resultar em coisas positivas ou simplesmente esperavam acabar os problemas do mundo sem fazer absolutamente nada. Graças a deus a primeira alternativa foi a escolhida por muitos que estão nessa lista.

Como está se tornando uma tradição aqui no ESC, aqui estão os 35 clipes que se destacaram dentre um turbilhão de criatividade sendo lançada semana após semana em um ano que parece até então interminável, escolhidos através da opinião dos membros da redação levando em consideração a criatividade dos visuais, mensagem e conceito, direção de arte e fotografia, entre outros pontos.

35. “É Osso” – Jovem Dionísio

Direção: Two Lost Kids

Cantarolando sobre o drama de se apaixonar, ou procrastinar, ou os dois ao mesmo tempo, os ‘menino hidratado’ da Jovem Dionísio se uniram às meninas do Two Lost Kids – Thali e Gabi – para o divertido clipe de ‘É Osso’. A assinatura visual desse duo é sempre muito marcante: cores pasteis e coloridas, narrações, montagem cinematográficas e essa vibe meio retrô. Sem dúvidas uma das melhores junções do ano na cena nacional.

34. “color me” – Active Child

Direção: Martin de Thurah

Às vezes, você se encontra em uma estrada escura em um vale profundo e negro. É difícil se orientar. Você se lembra vagamente de quem você é, mas é difícil entender completamente, você tem que se deitar para se dissolver no chão. A direção de Martin de Thurah exemplifica isso de forma poética e peculiar. Na fotografia sem cor se encontra um tom dramático intencionalmente colocado para aprofundar quem observa na narrativa da faixa.

33. “Nonbinary” – Arca

Direção: Frederik Heyman

Cantada de forma poética e quase falada, ‘Nonbinary’ da Arca é uma junção de diversas sensações que afloram na medida que o clipe é assistido. Arca não se importa sobre a definição dos outros a respeito do seu som, uma vez que é muito difícil  padronizar algo em constante evolução.

Leia a review do álbum ‘KiCk i’ da Arca

32. “Vênus Em Escorpião” – Gaby Amarantos, Ney Matogrosso e Urias

Direção: João Monteiro

Em um ano repleto de tragédias, a criatividade se fez necessária para carregar mensagens importantes. Em ‘Venus Em Escorpião’ Gaby Amarantos, Ney Matogrosso e Urias nos transportam para um lugar amazônico repleto de belezas naturais e mistérios. Interpretando os ‘senhores do universo’, o trio encara desafios com desastres naturais, queimadas incessantes (uma incrível referência à infeliz queimada ocorrida em 2020 no Pantanal) e muito desespero. Uma mensagem necessária e artisticamente impressionante.

31. “Obey” – Bring Me The Horizon & YUNGBLUD

Direção: Oliver Sykes

O pontapé inicial para a era do álbum ‘POST HUMAN : SURVIVAL HORROR’, Bring Me The Horizon estabelece de primeira uma narrativa constante e caótica, a mesma que seguirá durante todo o projeto do disco. Com a colaboração de YUNGBLUD, a faixa ganha um toque de hostilidade e familiar, retornando em alguns detalhes à origem sonora da banda.

30. “Aristocrats” – Raleigh Ritchie

Direção: Jacob Anderson (Raleigh Ritchie)

Jacob havia dito em uma entrevista “eu amo meu país, mas nem sempre me sinto amado por ele. Com este vídeo, eu queria explorar isso” e foi exatamente isso que ele demonstrou com ‘Aristocrats’.

Aqui a história britânica elitista e branca é colocada em jogo na medida que somos transportados entre as épocas de governo, desde a Cruzada até os anos 60, início de 70. Com cenas rápidas acontecendo ao seu redor, somos levados devagar ao protagonismo de Jacob (Raleigh) enquanto toda a soberba é quebrada e a tradicional família é alternada por uma mais diversa, como deveria ter sido.

29. “What’s Your Pleasure? (Dance Video)” – Jessie Ware

Direção: I COULD NEVER BE A DANCER

Para os visuais de seu novo álbum, Jessie Ware não poupou na seleção de talentos. Na faixa ‘What’s Your Pleasure?’ o dançarino Nicolas Huchard protagoniza a música eletrizante do início ao fim de forma elegante e chique, assim como todo o conceito sonoro do projeto.

Leia a review do álbum ‘What’s Your Pleasure?’ da Jessie Ware

28. “Kimbala” – Malía & BK

Direção: Matheus Senra

Malía é uma grande descoberta para a cena musical nacional, isso sem nenhuma dúvida. Para o visual da collab ‘Kimbala’ com o rapper BK, ela optou por um plano sequência com diversos acontecimentos durante os mais de 3 minutos. Entre cenas fortes como simulações de operações policiais nas favelas, partos, crianças brincando e coreografias, os dois conseguem entreter qualquer que pare para assistir.

27. “La Vita Nuova” – Christine and the Queens

Direção: Colin Solal Cardo

Lançado de supressa junto com o EP, o curta metragem foi filmado na histórica Ópera Garnier em Paris. A narrativa escrita por Héloïse e Colin Solal Cardo ficou definida como “um trabalho extremamente vulnerável e pessoal”. Entre cenas marcantes, flashes de luzes e performances dramáticas, temos a sedutora participação de Caroline Polachek recitando versos em italiano na canção “La Vita Nuova”.

26. “Man From the Magazine” – HAIM

Direção: Paul Thomas Anderson

Fazendo ligação direta à capa do disco e também ao conceito do projeto, o visual da faixa ‘Man From the Magazine’ da HAIM apresenta Danielle Haim em um balcão enquanto prepara o pedido feito ‘pelo homem da revista’ que chega, enquanto canta os versos em acapella entoando ‘você não sabe como é, mas quer que eu lide com isso’.

Leia a review do álbum ‘Woman In Music Pt III’ da HAIM

25. “Queen of the Rodeo” – Orville Peck

Direção: Austin Peters

Dirigido por Austin Peters, o clipe de pouco mais de oito minutos mostra o Orville em sua característica máscara cantando enquanto cenas de cowboys em rodeios se fundem com m concurso de drags, as rainhas do rodeio. Além de participações especiais da modelo Tess Holiday e Louisiana Purchase, o clipe também conta com a queen Thanks Jem, dando vida à personagem principal do enredo.

24. “Savior Complex” – Phoebe Bridgers

Direção: Phoebe Waller-Bridge

Estrelado pelo ator Paul Mescal de The New Normal, uma das melhores séries do ano, Phoebe Bridgers consegue transparecer a real emoção de ‘Savior Complex’, faixa melancólica presente em seu disco ‘Punisher’. A direção de Phoebe Waler-Bridge traz o toque dramático visual que a música carrega no lado sonoro.

23. “não passa vontade” – ANAVITÓRIA & Duda Beat

Direção: Gabriel Dietrich

Juntando um time de peso na bagagem de referência, Anavitória e Duda Beat recriaram cenas icônicas de diversos filmes dirigidos por grandes diretores da indústria do cinema: Wes Anderson (Os Excêntricos Tenenbaums), Sofia Coppola (Encontros e Desencontros), Spike Jonze (Quero ser John Malkovich), Mark Webb (500 Dias com Ela), Stephen Chbosky (As Vantagens de Ser Invisível), Valerie Faris/Jonathan Dayton e Bernardo Bertolucci (Os Sonhadores)

22. “Transgressão” – Jup do Bairro

Direção: Rodrigo de Carvalho

Psicodelia e memórias. ‘Transgressão’ utiliza de metáforas visuais para traduzir uma letra forte carregada de cicatrizes retiradas de Jup do Bairro. Com direção de Rodrigo de Carvalho, o visual da faixa é repleto de computação gráfica transformando o EP em um incrível curta cinematográfico, juntamente com as partes lançadas para as outras faixas.

21. “Impossible” – Nothing But Thieves

Direção: Elliott Gonzo

Às vezes gostar de alguém pode ser avassalador, e não necessariamente isso seja algo ruim. Em ‘Impossible’, Conor Mason, vocalista da NPT, escracha o sentimento de estar atado à um ritmo tão congelante que você se sente preso, topando qualquer coisa para que aquilo dê certo. Os visuais criativos de Elliott ilustram perfeitamente uma das melhores músicas do ‘Moral Panic’, recente álbum da banda.

20. “Procuro Alguém” – Djonga

Direção: Djonga & Tulio Cipó

Na primeira ouvida ninguém dá a mínima, mas ao prestar atenção, podemos perceber que ‘Procuro Alguém’ tem um peso enorme. Simboliza o amor de pai e filha, assim como os medos de deixar o mundo tomar conta do destino de alguém tão próximo. Djonga sempre utilizou de suas raízes e referências para construir sua narrativa melódica e aqui não foi diferente, assim como o disco que detém a faixa, ‘Histórias da Minha Área’.

19. “Describe” – Perfume Genius

Direção: Mike Hadreas

Com uma música tão pesada e árida, o clipe só poderia seguir na mesma linha e elevar ainda mais a qualidade. Michael Alden Hadreas luta contra o eco de sua própria consciência em meio à uma trama que parece entregar um filme de terror a cada cena. É claustrofóbico, poético e cru.

18. “Man’s World” – Marina

Direção: Alexandra Gavillet

Como a própria Marina havia dito em uma entrevista “parte de você apoiar mulheres é também ter ideia de quantas mulheres você contrata”, ela já deu o recado do que seu comeback está aqui para discutir. Com direção, produção, roteiro e atuação compostos por mulheres, Marina traz inúmeras referências neoclássicas ao artista John William Godward ao utilizar cores vibrantes, tecidos específicos e cenários metafóricos para ilustrar a letra do single que procura enfatizar o tratamento à “mulher através dos tempos”.

17. “Cut Me” – Moses Sumney

Direção: Moses Sumney

Além de escrever e dirigir o excelente visual de Cut Me, Sumney ainda atua ao lado dos talentosos Emara Neymour-Jackson e Malachi Middleton em um espetáculo acompanhado de coreografias bem intimistas com trombones ao fundo.

16. “Onda” – MC Tha, Felipe Cordeiro & Jaloo

Direção: Rodrigo de Carvalho

Se tem dedinho de Rodrigo de Carvalho a gente já sabe que vem coisa boa. Ele já trabalhou em outros projetos de Tha e sua assinatura visual é sempre muito perceptível (e incrível). O ‘Rito de Passá’, álbum da MC Tha, é cheio de mitologias e ritos sonoros, e em seus clipes isso fica cada vez mais evidente conforme sua narrativa videografica vai sendo construída. Em ‘Onda’, Tha e Jaloo contracenam de forma harmônica e extremamente natural. Natural, aliás, é ótimo para descrever a artista, que não tem problema nenhum em se despir em nome da arte.

15. “Watermelon Sugar” – Harry Styles

Direção: Bradley & Pablo

O doce sabor da melancia! Com a estética característica dos anos 70, Harry Styles construiu um hit sem defeitos com a cara do verão, embalado por vocais emulados com abafo, grande sintetizadores e cordas de guitarra muito bem posicionadas.

14. “frequente(mente)” – Chameleo & Pabllo Vittar

Direção: Federico Devito

‘frequente(mente)’ é uma colaboração extremamente aguardada entre os amigos Chameleo e Pabllo Vittar, que vem sem decepcionar. A direção de Devito traz elementos cinematográficos ligados diretamente à grande obras do cinema como ‘A Forma D’Água’, ‘O Quinto Elemento’, ‘Batman’ e outros. Chameleo que vem se tornando uma figura incrível no cenário pop nacional, se juntou à presença forte de Pabllo Vittar, resultando em uma collab inesquecível.

13. “Sweet Melody” – Little Mix

Direção: KC Locke

Se tornando o último clipe com as quatro integrantes da banda, ‘Sweet Melody’ veio para dar ainda mais poder à faixa do recente disco da Little Mix, ‘Confetti’. Com versos contagiantes e uma direção ágil, o visual segue uma fórmula bastante usada em clipes pops: coreografias, carão e figurinos, algo que Little Mix fez com excelência.

12. “How You Like That” – BLACKPINK

Direção: Seo Hyun-seung

Depois de um longo período afastadas da música com objetivo de entregar seu primeiro full-album, as meninas do BLACKPINK lançaram seu pre-single ‘How You Like That’ demonstrando o que estava por vir. Ainda que a faixa seja parecida com singles anteriores (e considerada uma das melhores do álbum), o clipe desempenhou seu papel de encher os olhos dos fãs com coreografias, aparições de dar gosto e uma fotografia já conhecida, porém melhorada, em sua videografia.

Leia a review do álbum ‘THE ALBUM’ do BLACKPINK

11. “Midnight Sky” – Miley Cyrus

Direção: Miley Cyrus

Nascida das cinzas como uma phoenix, Miley fez seu retorno em grande estilo. ‘Midnight Sky’ apresenta uma artista madura e totalmente segura de si, além de apontar para o rock como sua principal ferramenta, Miley passeia entre gêneros nostálgicos para criar um verdadeiro hit disco-rock. O clipe, dirigido por ela mesma, nos leva à uma viagem temporal com muito glamour e repleta de referências. Deu tão certo que ele está aqui nessa lista.

10. “The Man” – Taylor Swift

Direção: Taylor Swift

Nesta faixa do álbum ‘Lover’, Taylor faz uma crítica mais do que direta à indústria musical dominada por figuras masculinas, mas indiretamente todos sabem à quem foi direcionada, sua antiga gravadora. No visual da faixa dirigido pela própria artista, Taylor interpreta um homem poderoso, figura paterna, mas que no fim é um grande horror como pessoa, e dá vida às letras magnéticas da canção.

09. “WAP” – Cardi B & Megan Thee Stallion

Direção: Colin Tilley

Indiscutivelmente um hit orgânico, ‘WAP’ conseguiu servir como um belo comeback de Cardi B depois de alguns anos desde seu debut em ‘Invasion of Privacy’ de 2018. Com uma melodia um tanto quanto simples, ‘WAP’ dá abertura para versos fortes e nada acanhados de Cardi e Meghan, que utilizam de experiências para criar flows sexys e bastante sensuais.

08. “sad day” – FKA twig

Direção: Hiro Murai

FKA twigs com Hiro Murai no comando já era de se esperar uma obra cinematográfica e emocional. ‘sad day’ emula o o sentimento de não poder controlar o que o outro sente, e o quão sufocante isso consegue ser. No visual da canção, além de momento dramáticos, temos cenas de luta ao estilo Samurai que entregam uma exorcização de sentimentos, indicando um momento de conclusão literal do conceito principal da música.

07. “Forgive Me” – Chloe x Halle

Direção: C Prinz

‘Forgive Me’ foi o que podemos chamar de slowhit do ‘Ungodly Hour’, recente álbum das irmãs. Com a ascensão de ‘Do It’, a faixa foi subindo aos poucos na escadinha de gosto do público, até virar uma verdadeira onda sonora em aplicativos e vídeos virais. Com um visual conceitual de selva e pós apocalíptico, Chloe x Halle destacam a letra da música com uma presença inegavelmente poderosa em meio à figurinos de couro preto e coreografias que posteriormente seriam enraizadas em challenges durante todo o ano.

Leia a review do álbum ‘Ungodly Hour’ da Chloe x Halle

06. “Already” – Beyoncé, Shatta Wale & Major Lazer

Direção: Joshua Kissi

Voraz e poético, ‘Already’ serviu como parte crucial para a promoção do filme visual do álbum ‘Black Is King’, curado e criado por Beyoncé para ser o complemento sonoro de O Rei Leão. Chamado por muitos de ‘o verdadeiro live-action’ da animação, podemos considerar esta uma das melhores partes do registro. Beyoncé integra de forma crucial em vocais e presença, enquanto Shatta complementa a história lírica com seu background ganense, escolhido a dedo para compor o trio da faixa.

05. “Rain On Me” – Lady Gaga & Ariana Grande

Direção: Robert Rodriguez

Traumas são sempre indesejáveis. Fazer deles algo positivo é raro e extremamente difícil, mas não impossível. É sobre isso que essa colaboração entre Lady Gaga e Ariana Grande se trata, perseverar durante seu próprio trauma. Com um clipe construído de forma que pudesse mostrar os dois lados do sentimento, Gaga e Grande estão no centro de um hit que serviu de pontapé para ser um dos melhores hits de 2020.

04. “XS” – Rina Sawayama

Direção: Ali Kurr

Para uma das melhores faixas do ano, um clipe à altura. Rina interpreta uma personagem doida para vender seu produto. Em meio à coreografias contagiantes, é possível ler nas entrelinhas a real mensagem do clipe: excesso.

Podemos considerar essa uma crítica ao consumismo chamativo do capitalismo e seu efeito sobre os trabalhadores, especialmente no terceiro mundo, que são fortemente explorados na produção de produtos quase sempre descartáveis.

Leia a review do álbum ‘SAWAYAMA’ da Rina Sawayama

03. “Blinding Lights” – The Weeknd

Direção: Anton Tammi

Em meio ao cenário caótico de Las Vegas, The Weeknd apresenta o início de sua jornada como o alter ego da era After Hours. Com rosto ensanguentado, vestindo um – já icônico – terno vermelho e óculos amarelos, Abel alucina em meio à sintetizadores e saxofones nostálgicos que nos transportam para a década de 80/início de 90.

02. “Physical” – Dua Lipa

Direção: CANADA

Com ‘Physical’ Dua Lipa conseguiu fazer com que todos ficassem com vontade de dançar e se exercitar, entregando um dos melhores (senão o melhor) clipe de sua carreira. O pontapé inicial da era Future Nostalgia veio cheio de ilusões de óptica, números de dança gigantes e uma brincadeira cromática que cativou que trouxe a nostalgia do álbum.

Leia a review do álbum ‘Future Nostalgia’ da Dua Lipa

01. “911” – Lady Gaga

Direção: Tarsem Singh

Ao lançar o aguardado short film para a faixa ‘911’, Lady Gaga não poupou detalhes na narrativa do roteiro. Com easter eggs que mais são detalhes de uma história extremamente bem construída do que apenas dicas, Gaga entrega uma obra que deve permear listas e seleções de melhores visuais por anos e até décadas.

Leia a review do álbum ‘Chromatica’ da Lady Gaga

Menções bônus

Como nossa lista foi encerrada antes de alguns lançamentos, resolvemos trazer os seguintes que merecem seu lugar de direito na listinha de melhores visuais de 2020.

‘Not The End of The World’ – Katy Perry

Direção: Charlotte Fassler & Dani Girdwood 

Katy Perry entrou de cabeça no katyverso e lançou o clipe incrível da faixa ‘Not The End of The World’, presente em seu disco recente ‘Smile’. No visual, a atriz Zooey Deschanel interpreta Katy sendo abduzida por alienígenas com a missão de salvar a terra. Zooey é por anos comparada com a aparência de Katy, tanto que virou meme e hoje temos um clipe cômico para chamar de nosso! A próxima do katyverso precisa ser a Emily Blunt, viu?

‘Modo Turbo’ – Luísa Sonza, Anitta e Pabllo Vittar

Direção: Alaska

O pop nacional está cada vez mais surpreendendo e com essa colaboração pegou toda a base pop de surpresa! Após vazamentos, o lançamento de ‘Modo Turbo’ precisou ser feito às pressas, contudo, não estragou a obra visual incrível que o acompanhou. Produzido pela Alaska Filmes, o clipe da faixa traz referências diretas de antigos arcades, games e cultura oriental, apresentando as três artistas em uma batalha de gingado. Será que teremos uma continuação?

Exit mobile version