fbpx

10 artistas internacionais escondidos no Spotify

Desde que a era dos streamings tomou força, descobrir um artista novo se tornou muito mais fácil. Listas recomendadas pelas plataformas, rádios de músicas específicas, ads promovendo canções(…).

Mas junto com a facilidade também vem uma dificuldade de se sobressair em um mar de artistas. Então, como se destacar? é muito difícil ter uma formula perfeita para isso, o que faz com que muitos grupos, cantores e bandas acabem ficando ‘escondidos’ nas plataformas musicais.

Por isso, selecionamos 10 artistas internacionais escondidos no Spotify para você ter uma ideia que existe muita coisa boa com menos de 200mil ouvintes mensais.

1. Little Destroyer

Com um figurino que poderia facilmente ser emprestado da cantora brasileira Letrux, a banda de Vancouver, Little Destroyer mostra bastante confiança no vídeo de Alpha. A faixa, que reverbera vocais agressivos também define atitude na letra, refletindo sobre a necessidade de se sustentar por si só, e mostrar de onde veio. E mesmo com apenas cerca de 7,500 ouvintes mensais no Spotify a banda de (até então) 3 músicas já desenvolve personalidade.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

2. Freak Daddy

Para acompanhar a performance de Freak Daddy é necessário um pouco de atenção. Os figurinos extravagantes, e excesso de informação são parte de sua estética. Daddy identifica-se com os pronomes Eles/Ele e mostra que a visão artística de artistas LGBTQ+ é uma forma de expressão única e sempre em constante mudança, basta ouvir a sonoridade de Confetti e False Faces.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

3. XOV

O cantor de 34 anos é nascido no Irã, residente na Suécia e canta em inglês. O mix de culturas é também um mix de gêneros, como ouvimos nas suas músicas. Ele, que já participou da trilha sonora do filme Jogos Vorazes: A Esperança Parte 1 (aquele com a curadoria de Lorde) e lançou o álbum Wild em 2015, retornou em 2018 com o EP Medula. XOV também tem seu lado filantrópico e é um dos fundadores da organização I AM YOU, que dá suporte a refugiados nas fronteiras da Europa.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

4. BAUM

A jovem artista, que na verdade se chama Sabrina Teitelbaum está na ativa desde 2017, mas recentemente seus dois ultimos singles; Fuckboy e Bad Kid serviram para despertar atenção sobre sua musicalidade. Com menos de 100mil ouvintes mensais no Spotify, BAUM é uma daquelas que aparecem aleatoriamente nas suas recomendações, fazendo você se perguntar de onde saiu… mas agradecendo pela qualidade.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

5. ZAND

Provando que cada vez mais existe espaço para gêneros e sexualidades, ZAND (que é do Reino Unido) e se identifica com o pronome Eles (They/Them), mostra diversidade em seu estilo. Enquanto o single Boys Like You segue uma vibe mais leve, eles também apresentam Freak, uma música mais pesada e com pegadas do famoso dubstep. Estilo que rendeu muitos hits alguns anos atrás.

Redes sociais: Instagram / Twitter

6. FYOHNA

O trio formado na Califórnia já teve algumas músicas em seriados de TV, abriram shows para Allie X e Bea Miller, e agora retornam com o novo singleSeguindo a musicalidade do EP homônimo de 2017, FYOHNA abusa de vocais doces e produção caprichada. Mas é no clipe de Lie Down que sua estética visual mostra que a banda está de olho nas tendências e sabe fazer trabalhos bem bonitos.

Redes sociais: Instagram / Facebook

7. Sebastian Adé

O clima das músicas de Sebastian Adé são perfeitos para encontros íntimos, a produção minimalista dos singles Sweetest Sound e Parachute dão um ar de calmaria que mesclam de forma mágica aos vocais do rapaz. O artista, que até então só tem 3 músicas, pode ser uma ótima pedida para quem procura ficar antenado com grandes vozes ainda não descobertas.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

8. CUTTS

A sonoridade da dupla CUTTS pode ter bastante semelhança com outros duos compostos por uma mulher e um rapaz, mas a diversidade em produções que vão de músicas com uma pegada eletro-crescente como Honey até um instrumental mais sombrio em Entertain Me são a prova de que Lilian Cutts e Peter Bonaventure podem fazer bonito qualquer seja o estilo que se propõem. Com apenas 8 músicas no catálogo o duo já prepara um EP de estréia.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

9. JORDANN

Os vocais melódicos e hipnotizantes em Café Speed quase nos distraem do trabalho de qualidade da produção da música. Mas, assim como em Poll Line, JORDANN prova que sabe mixar muito bem as duas coisas. A uniformidade das canções e o estilo seguido soam como algo perfeito para qualquer estação… e o cantor que é de Montreal, define uma sonoridade convincente e apaixonante. Tudo isso somado a estética de seus videoclipes só prova o quanto um bom trabalho visual impulsiona a incrível qualidade de sua musicalidade.

Redes sociais: InstagramFacebook

10. Dizzy Fae

As sonoridades diversas nas mixtapes de Dizzy Fae são um deleite. Passando pelo instrumental oitentista de Johnny Bravo até algo mais experimental em Big Wall, a cantora determina que não tem um estilo único, e que sua fluidez de estilos só prova sua capacidade como artista. Tal competência rendeu turnês com Lizzo e Toro y Moi, e assim Fae, que tem apenas 21 anos, vai definindo seu nome na cena e deixando sua marca.

Redes sociais: Instagram / Twitter / Facebook

Leia mais:

O efeito do FOMO musical

Spotify revela as tendências para 2020 com mais qualidade de vida e (claro) mais música

Total
1
Share