fbpx

5 quadrinhos que dariam boas animações para o cinema

Listamos 5 histórias em quadrinhos que poderiam ser grandes animações nas telas do cinema

As histórias em quadrinhos e as animações quebraram o mito de que são feitas apenas para as crianças. Na verdade, essas produções podem ser consideradas como um produto artístico muito importante. Isso porque alinham a excelência narrativa – fundamental em uma boa história – com técnicas e estéticas de ilustração que são a cada dia mais valorizadas. 

Muitas animações (e live-actions) que fizeram sucesso no cinema são adaptações de quadrinhos. Dos mais cults aos mais populares, exemplos que ilustram esta variedade são Operação Big Hero (2014) e Persépolis (2007). Essa lista vai apresentar, e recomendar, cinco quadrinhos que dariam boas animações para as telas no cinema. 

Vem pra lista: 

Uma Irmã

UMA IRMÃ / EDITORA NEMO © 2018

Uma Irmã é um quadrinho francês, de Bastien Vivès, que fala sobre a descoberta da sexualidade. Repleto de erotismo e sensualidade, foi publicado no Brasil pela Editora Nemo e retrata as questões da adolescência de forma doce e sensível. A história do jovem do Antoine, que durante as férias de verão se apaixona pela amiga mais velha, com certeza teria o mesmo impacto nas telas do cinema. Em um cenário que paixões de verão geram bons filmes, como Luca Me Chame Pelo Seu Nome, a adaptação da graphic novel de Vivès seria capaz de agradar tantos os adolescentes quanto os críticos de quadrinhos e animações. 

Ogiva

OGIVA / EDITORA PIPOCA E NANQUIM © 2020

Ogiva é um quadrinho brasileiro pós apocalíptico. Publicado pela editora Pipoca e Nanquim, a história se passa em uma realidade na qual monstros que se alimentam de humanos dominaram o planeta Terra. Frenético e repleto de cenas de ação, o quadrinho acompanha a personagem Pilar e sua saga para reencontrar a garota órfã que ela prometeu proteger. A busca incessante por uma criança em um ambiente hostil lembra vagamente Procurando Nemo, sucesso da Pixar, de 2004. Com roteiro de Bruno Zago e ilustrações de Guilherme Petreca, Ogiva é outra história que seria capaz de agradar diversas gerações nas telas do cinema.

Laura Dean Vive Terminando Comigo

LAURA DEAN VIVE TERMINANDO COMIGO / EDITORA INTRINSECA © 2020

Histórias de amor sempre dominaram o cinema e as animações nunca fugiram desse roteiro. Entretanto, é importante retratar na ficção que nem toda história de amor é perfeita. Na contramão dos “felizes para sempre”, Laura Dean Vive Terminando Comigo é um quadrinho sáfico que retrata um relacionamento tóxico e problemático. Feito em tons de rosa, o roteiro discute as dificuldades de abandonar e de superar essas relações complicadas. Publicado pela editora Intrínseca no Brasil, o quadrinho de Mariko Tamaki e Rosemary Valero-O’Connell foi vencedor do prêmio Eisner (um dos mais importantes da categoria). Laura Dean daria um bom filme, uma vez que tocaria em temas importantes e aumentaria o leque (atualmente escasso) de animações com personagens LGBTQUIA+. 

Nimona

NIMONA / EDITORA INTRINSECA © 2016

A graphic novel de fantasia de Noelle Stevenson já tinha um filme confirmado até o começo desse ano. Com o fechamento da Blue Sky, a produção foi oficialmente cancelada pela Disney. Nimona resgata e reinventa elementos das histórias de fantasia de forma delicada e bem-humorada. O roteiro ágil combina uma arte colorida e dinâmica com uma variedade incrível de cenas de batalhas. A adaptação da saga da jovem metamorfa que tem o sonho de ser comparsa do maior vilão que já existiu seria um fenômeno cultural e comercial entre crianças e adultos.

Alex + Ada

ALEX + ADA / EDITORA GEEKTOPIA © 2017

A obra de Jonathan Luna foi publicada em três volumes pela editora Geektopia no Brasil. Alex + Ada é o quadrinho mais denso e adulto dessa lista. Uma definição interessante para a obra é aquela que a coloca como uma versão ainda mais intensa do aclamado filme Ela, de 2013. Alex + Ada acompanha a história do jovem Alex que se apaixona pela sua robô e desbloqueia a trava que a impede de se tornar um ser consciente. Uma animação baseada no quadrinho misturaria romance e ficção científica, dois elementos que costumam fazer sucesso nas salas de cinema.