fbpx

“Dancing with the Devil… The Art of Starting Over” se torna o melhor disco da Demi Lovato

No seu sétimo registro de estúdio, Demi Lovato aborda os seus maiores traumas em músicas que mostram seu crescimento.

Chegou ontem (02) aos ouvidos de todo o mundo o sétimo registro de estúdio da Demi Lovato, o “Dancing with the Devil… The Art of Starting Over” é em suma o maior disco da artista, e os fãs agora podem apreciar o que esse trabalho relata com clamor em toda a sua essência: o levantar e superação da Lovato em músicas incríveis.

E essa superação é vista pela crítica como o melhor que se pode extrair ao lado de um “pop confessional”, sendo então, esse o maior registro da Demi. No Metacritic, o disco alcançou 79 pontos, que vem da soma das notas de 6 reviews: 5 positivas e apenas 1 mediana.

“Dancing with the Devil… The Art of Starting Over” se torna o melhor disco da Demi!

No ranking da discografia da artista, quem aparece em terceiro lugar é “Tell You Love Me” (com 72 pontos), seguido do “Confident” (com 74 pontos), e agora quem assume a posição de ouro é o atual lançamento, com 79 pontos, que podem subir ou descer.

Para o NME, que deu uma nota 80: “Os fãs ficarão emocionados ao ouvir a artista soar tão brincalhona”. Leia a review completa do veículo.

O The Telegraph (UK) atribiu nota máxima e alega que o projeto evidencia muito bem a questão de altos e baixos:

“Para um álbum baseado em desespero e recuperação, “Dancing with the Devil … The Art of Starting Over” é um prazer que afirma a vida de cima a baixo.”

Leia a review inteira.

Já o The Independent ressalta que é necessário atenção para captar toda a alma do álbum:

“O melhor do pop confessional – pense no “Lemonade” da Beyoncé – encontra um som original para uma experiência original e que exige a atenção do ouvinte.”

Leia a review inteira.

Para o Consequence of Sound, o álbum reflete sobre como a artista usa esse projeto para seguir em frente. O veículo atribiu 75 de nota.

“O lançamento deste álbum coincide com o documentário, e como os detalhes da recuperação rochosa de Lovato continuam a se desenrolar, há um pouco de preocupação na ideia de que este álbum é um pouco intrinsecamente ligado a outra narrativa muito pública. Ela nos diz, mais e mais no álbum, que esse capítulo devastador de sua vida acabou e se foi. No fechamento dolorido e carinhoso, ela canta que está em um “lugar bom”, na faixa “Good Place”. Eu quero desesperadamente acreditar nela.”

Leia a review inteira.

Com uma nota 70, o The Line of Best Fit defende que para um disco extenso (são mais de 50 minutos de duração), temos mais acertos do que erros em canções que expõem o amadurecimento da Demi.

“Felizmente, em um álbum de 19 faixas, há mais joias do que insucessos. Lovato está mais disposta a experimentar do que em lançamentos anteriores, tanto por meio de sua música quanto de sua voz, que está mais versátil do que nunca.”

Leia a review inteira.

Com 19 músicas no total, uma sendo intro, o “Dancing with the Devil… The Art of Starting Over” está disponível para escutar em todas as plataformas digitais.

Total
0
Share