O R&B contemporâneo pode ter sua ascensão em 2023

A indústria que vêm se moldando ao redor de influências nostálgicas aponta em 2023 uma revolução em nome do tão querido R&B.

Em meio à tantas alusões nostálgicas nos últimos anos — como a disco/dance music em 2020 e o pop rock em 2021, o gênero que vêm se destacando nos últimos meses chama atenção para uma possível referência viral neste novo ano.

Introduzido pela Billboard no final da década de 1940, o ‘Rhythm & Blues’ passou por diversas mudanças em suas características ao longo dos anos até chegar no popularmente conhecido ‘R&B Contemporâneo’, subgênero que abraça o soul, jazz, funk e hip-hop na música pop.

Entre alguns lançamentos e revelações promissoras no final de 2022, conhecemos as vencedoras do prêmio de “estrela em ascensão” pelo BRIT Awards 2023. O grupo “FLO” resgatou a energia do gênero com canções que remetem aos sucessos dos anos 2000, trazendo uma singularidade que, sem dúvidas, deixou uma grande marca na indústria já em seu debut “Cardboard Box” e o mais recente single “Losing You“.

O final do período de lançamentos de 2022 também foi marcado pelo retorno de SZA. A cantora que sempre flertou com o R&B contemporâneo lançou, após cinco anos, seu novo projeto intitulado “SOS“.

Reforçando a teoria de ascensão do estilo musical, todas as 23 faixas do álbum debutaram na Billboard Hot 100, sendo duas delas direto no Top 10. “Kill Bill” e “Nobody Gets Me” já são sucessos virais no TikTok, rede social que têm influenciado diretamente a indústria da música. Dessa forma, diversos caminhos nos levam para a possibilidade do gênero se tornar a próxima grande tendência a ser seguida.

Já com uma vasta lista de lançamentos previstos para os próximos meses, 2023 também promete o retorno de grandes nomes como Rihanna e (o tão esperado debut) de Normani — outras duas artistas que tem tudo para contribuir para esse possível futuro dominado pelo poder do R&B.

Total
0
Share

Notice: Constant WP_USE_THEMES already defined in /home/escuta28/public_html/index.php on line 14